Skip navigation

Nada de se crucificar por uma pequena dúvida, no fundo você sabe que tipo de indecisão pode realmente levá-la ao final.

Todos sabem que o ser humano ‘é e está’, mas essa é a definição pra quem vive ou esta vivendo a vida. E os muitos quens e ninguéns que vivem na sua vivência.

Faz falta quando não nos deparamos com uma decisão nos momentos mais cruciais. E se te falassem que, não foste você, que foi o seu outro ‘eu’ que resguarda o medo por não te conhecer.

Caso nunca tenha pensado, vos questiono. Se nós somos nós, pois somos inteiramente o que o nosso ser é, como podemos não nos conhecer, não nos entender, e ainda sim nos surpreender com nós mesmos.

São muitos ‘eus’ para que todos sejam o mesmo. Por isso atente-se ao momento da dúvida, da confusão, da indecisão e busque o eu que você quer ser.

Somos totalmente mutáveis. Eu em todos ‘eus’

Bia Barros

Anúncios

That I would be good

Foi assim e sempre será assim. Mesmo onde não tenha amor, sempre haverá esperança.

Bia Barros

Ao me aconchegar com o travesseiro, ao despertar do novo dia e ao parar e pensar.

Sou dependente.

Toda vez que choro, toda vez que sorrio e cada vez que almejo.

Sou dependente.

Faço de conta, finjo e tento disfarçar, mas.

Sou dependente.

Se dizes não, digo sim, caso afirme, eu nego.

E ainda sou dependente.

Já tentei falar, já tentei ouvir, e com todos os problemas e uma única solução.

Sou dependente da longa espera de não depender mais.

Bia Barros

Tens um choro engasgado, fruto da injustiça de quem prega a igualdade.

Serás o futuro das falsas verdades, como foras o verdadeiro preconceito.

Sentiremos pena de quem nunca possa conhecer e reconhcer a cor do céu que admira, o concreto do chão que pisa e até mesmo a realidade que ignoras.

De nada lhe adiantaras esconder, o que se faz presente em ti, quando posto à prova de fogo não negas as afiadas garras por baixo da doce face da beleza.

Pode doer nos injustiçados, não tanto quanto machucará a si próprio.

Bia Barros

Nunca foi presente

Sempre esteve em mim.

Nunca foi o suficiente.

Sempre fez falta.

Nunca ocupará o devido lugar.

Sempre foi tudo que ninguém será.

Nunca tinha certeza.

Sempre transmitiu segurança.

Nunca mentiu.

Sempre desapontou.

Nunca será perfeito.

Sempre será o melhor.

Nunca se fará real.

Sempre foi um belo sonho.

Bia Barros

Quem de nós perdeu a chance de repetir a opinião já formada, sabe muito bem que hoje muda incansávelmente, na tentativa e esperança de encontrar a atenção perdida.

Cada vez que conheço um novo sentido da vida, descubro que foi tudo fruto de uma escolha. Difícil, demorada, única chance, seja lá como for, me trouxe mudanças.

Além do mais tem uma escolha bem maior, que ao mesmo tempo que se aproxima, se afasta. Quem eu sou, quem serei ou quem quero ser? Parece tão mais profundo, parece tão sem resposta.

Eu sei que hoje eu sou algo que não serei amanhã. E nunca serei inteiramente algo que nunca fui. Ou seja, a infinitude do seu ser vai bem além de caracterizá-lo. Sem impor limites, posso ser hoje muito mais do que quero e amanhã muito além do sou.

Tenho certeza que serei única e igual.

Será um pequeno e curto episódio na minha vida.

Quem ama, cuida. Quem ama, está perto. Quem ama, quer por perto. Quem ama, vive. Quem ama, faz o outro viver. Quem ama, compartilha. Quem ama, se importa. Quem ama, procura. Quem ama, encontra. Quem ama, aceita os erros. Quem ama, erra, e concerta o erro. Quem ama, não ignora. Quem ama, da toda atenção do mundo. Quem ama, não tem medo de ser bobo. Quem ama, não tem medo de falar. Quem ama, tem medo de perder. Quem ama, escuta. Quem ama, entende. Quem ama, se esforça e não mede as dificuldades e obstáculos para concretizar esse amor. Quem ama, não foge. Quem ama, ve as diferenças. Quem ama, aceita as diferenças. Quem ama, conhece. Quem ama, ainda se surpreende. Quem ama, ainda pode surpreender. Quem ama, olha bem no fundo dos olhos do outro, e sente calafrios, por simplesmente tocar-lhe, e quando escuta “Eu Te Amo”, sente-se a pessoa mais completa do mundo….

Será que só eu amo assim?

Bia Barros

Eu estou descobrindo o mundo…
O mundo que vive dentro de mim
O caminho dos meus sentimentos
As esquinas das minhas lágrimas
Os prédios de orgulho, erguidos pela vivência de alguém que nem ao menos sabe quem é si próprio mas já conhece o pior tipo de sofrimento, aquele que você pode curar, mas deixa ele te rasgar por dentro.
A saudade está me matando.

Bia Barros

TIC TOC- O ponteiro do relógio tem uma agúnia no seu sentido. É um ciclo sem fim, por que o seu fim tem o mesmo começo.

Se parar por horas, verá que a vida não é nada para aquele relógio, que ainda tem o infinito para fazer passar.

Pensaste que o tempo marca passado, presente e futuro, então o que será você dentro dele?

Esperar o ponteiro dar uma volta, passar-se horas, não faz disso um passado.

Porém olhar para as estrelas, mesmo que apagadas, faz algo marcar a sua história.

Por que esperam uma razão para viver?

A verdadeira razão do viver é estar vivo.

E você pode fazer algo que nem o relógio e muito menos o tempo pode mudar. A sua felicidade.

Se te falta ar pra respirar, respire mais fundo.

Se está tudo tão escuro, abra os olhos novamente.

Se não tem força suficiente, supere o seu máximo.

E se você tentar chorar e a lágrima não cair, já é o tempo de sorrir.

Bia Barros